Cantiga de Amigo


José Carlos Ary dos Santos


Nem um poema, nem um verso, nem um canto
tudo raso de ausência, tudo liso de espanto
e nem Camões, Virgílio, Shelley, Dante
o meu amigo está longe
e a distância é bastante.

Nem um som, nem um grito, nem um ai
tudo calado, todos sem mãe nem pai
Ah não, Camões, Virgílio, Shelley, Dante!

o meu amigo está longe
e a tristeza é bastante.

Nada a não ser este silêncio tenso
que faz do amor sozinho o amor imenso.
Calai Camões, Virgílio, Shelley, Dante:
o meu amigo está longe
e a saudade é bastante!