Anedotas

 

 

Toda a gente gosta de anedotas. Nós também!!

Procuramos recolher aqui algumas das que consideramos mais engraçadas.

Gostaríamos de enfatizar que

Todas as referências a ETNIAS, CREDOS, NACIONALIDADES ou quaisquer outros grupos, minoritários ou não, têm por objectivo a reprodução da anedota, tal e qual o original, com o fim a que, em princípio, se destina - o puro divertimento - e não possui, neste espaço, qualquer carácter RACISTA, XENÓFOBO, ou de qualquer outra forma desrespeitoso para o grupo visado.
Assim, todas as anedotas estão reproduzidas como são contadas na sociedade em geral e não representam, em aspecto algum, a ideologia dos donos do site.

 

Dito isto, leiam e divirtam-se!!

 

Uma mulher estava num bar depois de um dia exaustivo de trabalho, bebericando um cocktail, quando a porta do bar se abre e dá passagem a um homem que ela jamais tinha visto na sua vida.
Um verdadeiro Deus-grego! Ele era alto, musculoso e lindo. Os seus cabelos escuros e olhos verdes fizeram com que ela não pudesse tirar os olhos dele, como se estivesse hipnotizada por aquela figura tão encantadora. O homem notando que era objecto de atenção daquela mulher, aproximou-se dela com um sorriso sexy. Envergonhada, ela preparava-se para se desculpar, quando ele chegou mais perto e sussurrou no seu ouvido, fazendo-a tremer com aquela voz macia e profunda:
-"Farei qualquer coisa, absolutamente qualquer coisa que você queira, qualquer coisa que você tenha fantasiado, por 50 euros. Mas com uma condição... Tremendo, a mulher pergunta qual é a condição.O homem diz:
-"Você terá que me dizer o que quer em três palavras". A mulher fixou o olhar naqueles hipnóticos olhos e aceitando a proposta, tirou de dentro da sua carteira os 50 euros. Escreveu o endereço de sua casa num guardanapo, embrulhou o dinheiro nele, colocou-o nas mãos do homem e, inclinando-se sobre ele, sussurrou no seu ouvido as três palavras:
LIMPE A CASA!




Para trocar uma lâmpada, quantas pessoas são necessárias?
Depende do tipo de pessoa:

Gays?
Seis: Um para trocar e cinco para ficar gritando:
“Linda! Poderosa! Maravilhosa! Divina! Tuuudoo!”

Tias?
Duas: Uma chama o electricista e a outra prepara as bebidas.

Psicólogos?
Apenas um, mas a lâmpada TEM QUE QUERER ser trocada.

Loiras?
Cinco: Uma para segurar a lâmpada e outras quatro para girarem a cadeira.

Consultores?
Dois... Um abandona sempre o trabalho a meio do projecto.

Bêbedos?
Um, só para segurar a lâmpada, enquanto o tecto vai rodando.

Informáticos?
Trocar para quê!? Não há qualquer problema com a lâmpada velha, porque nos testes, aqui no escritório, ela funcionava bem!

Activistas Gay?
Nenhum. A lâmpada não precisa ser mudada para ser aceite pela sociedade.

Cantores Românticos?
Dois: Um troca a lâmpada e o outro escreve uma canção sobre os bons tempos da lâmpada antiga...

Machões?
Nenhum: Macho que é macho não tem medo do escuro.

Dondocas?
Duas: Uma para segurar a Coca-Cola Light e outra para chamar o Paizinho.

Americanos?
Um só: Ele segura a lâmpada e o mundo gira em seu redor.

Mulher (na verdadeira acepção da palavra)?
Só ela! Sozinha!! Porque ninguém, dentro desta casa sabe como trocar uma lâmpada! São um bando de IMPRESTÁVEIS!!! Eles nem dão conta que a lâmpada se queimou! Eles podem ficar em casa no escuro durante três dias antes de notar que a porcaria da lâmpada se queimou! E quando eles notarem, vão passar mais cinco dias esperando que EU troque a lâmpada, porque eles acham que eu sou a ESCRAVA deles!!! E quando eles se derem conta de que eu não vou trocar a lâmpada, eles ainda vão ficar mais dois dias no escuro porque não sabem que as lâmpadas novas ficam dentro da porcaria da despensa! E se, por algum milagre, eles encontrarem as lâmpadas novas, vão arrastar a poltrona da sala até ao lugar onde está a lâmpada queimada e vão arranhar o chão todo, porque são INCAPAZES de saber onde a escada está guardada! É inútil esperar que eles troquem a lâmpada, por isso sou eu mesmo quem vai trocá-la! E como eu sou uma mulher independente, vou lá e troco!... E SAI DA MINHA FRENTE!!!



Um homem caminhava pela praia e tropeçou numa velha lâmpada. Pegou nela, esfregou-a e... um génio saltou lá de dentro, e disse:

- O.K! Libertaste-me da lâmpada, blá, blá, blá!
Esquece aquela história dos 3 desejos! Tens direito a 1 desejo apenas e ponto final!

O homem disse:

- Eu sempre quis ir ao Brasil, mas tenho um medo enorme de voar...
e no mar costumo ficar enjoado. Podes construir uma ponte até ao Brasil, para eu poder ir de carro?

O génio riu muito e disse:

- Impossível. Pensa na engenharia do caso. Como é que os pilares chegavam ao fundo do Oceano Atlântico? Pensa em quanto betão armado, em quanto aço, em quanta mão de obra... Não, de maneira nenhuma! Pensa noutro desejo...

O homem compreendeu e tentou pensar num desejo realmente possível.

- Fui casado e divorciado 4 vezes. As minhas mulheres disseram sempre que eu não me importava com elas e que era um insensível.
Então, é meu desejo compreender as mulheres; saber como se sentem por dentro e o que estão a pensar quando não falam connosco; saber porque estão a chorar... saber realmente o que querem quando não dizem nada... saber como fazê-las realmente felizes!

O génio respondeu:

-Queres a merda da ponte com três ou quatro faixas?



DIÁRIO DE UMA ADVOGADA

23 de Fevereiro - Demiti o meu Estagiário.

Era o meu aniversário de 37 anos, o meu humor não estava lá muito bem. Naquela manhã, ao acordar dirigi-me à cozinha para tomar café na expectativa de que o meu marido dissesse: "Feliz aniversário,querida".
Mas ele não disse nem bom dia...Aí pensei: "Este é o homem que eu mereço!"
Mas continuei imaginar: "As crianças certamente lembrar-se-ão".
Quando elas chegaram para o pequeno almoço não disseram nem uma palavra. Saí bastante desanimada, mas senti-me um pouco melhor quando entrei no escritório e o meu estagiário, disse:
- Bom dia Dr.ª, Feliz Aniversário!
Finalmente alguém se tinha lembrado. Trabalhei até o meio-dia, quando o estagiário entrou na minha sala e disse:
- Sabe Dr.ª... Está um dia lindo lá fora, e já que é o dia do seu aniversário, poderíamos almoçar juntos, só a senhora e eu. Aceitei, fomos a um lugar bastante reservado. Divertimo-nos muito, e no caminho de volta ele sugeriu:
- Dr.ª, com este dia tão lindo, acho que não devemos voltar ao escritório. Vamos até ao meu apartamento, e lá tomaremos uma bebida. Fomos então para o apartamento dele, e enquanto eu saboreava um Martini ele disse:
- Se não se importa eu vou até ao meu quarto vestir uma roupa mais confortável.
-Tudo bem, respondi, fique à vontade.
Decorridos mais ou menos cinco minutos, ele saiu do quarto com um um bolo enorme, seguido do meu marido, dos meus filhos, das amigas e de todo o pessoal do escritório...
Todos cantando, "Parabéns a você...".

E LÁ ESTAVA EU, NUA, SEM SUTIÃ NEM CUECAS, DEITADA NO SOFÁ DA SALA...



Perguntas possíveis/Respostas mortíferas:

ELE: Viva. Não nos encontrámos já uma ou duas vezes?
ELA: Só pode ter sido uma. Eu nunca cometo o mesmo erro duas vezes.

ELE: Onde é que foi buscar tanta beleza?
ELA: Devem-me ter dado a sua parte.

ELE: Quer sair comigo no próximo sábado?
ELA: Lamento. Vou estar com dores de cabeça.

ELE: Essa carinha deve dar a volta a muitas cabeças.
ELA: E essa deve dar a volta a muitos estômagos.

ELE: Vá, não seja tímida. Peça-me para dar uma volta.
ELA: Está bem: vá dar uma volta.

ELE: Acho que eu podia fazê-la muito feliz.
ELA: Como? Vai-se embora?

ELE: Que me diria se eu lhe pedisse para casar comigo?
ELA: Nada. Não consigo falar e rir ao mesmo tempo.

ELE: Pode dar-me o seu nome?
ELA: Porquê? Não lhe deram já um?

ELE: Vamos ao cinema
ELA: Eu já vi esse filme.

ELE: Por onde tem andado, que só agora a conheci?
ELA: A esconder-me de si.

ELE: Não nos encontrámos já num lugar qualquer?
ELA: Já. É por isso que nunca mais lá fui.

ELE: Esse lugar está vago?
ELA: Está. E se você se sentar, este também.

ELE: O seu corpo é como um templo.
ELA: Lamento, hoje não há missa.

ELE: Se eu pudesse vê-la nua, morria de felicidade.
ELA: Se eu o visse nu, morria de riso.



Uma mulher vai de férias para a Cuba e ali conhece um negro robusto e esbelto. Começam a falar e a dançar e terminam a testar a qualidade das molas do colchão...
Depois da "tourada", a mulher, legitimamente, pede ao negro que se identifique.

-Prefiro não dizer o meu nome: toda a gente começa a rir-se...

Assim continuam durante mais 15 dias: bailando, brincando e... pimba, sexo a toda a hora. Na véspera de regressar a casa, a mulher volta à carga, para que o amante lhe diga o nome e consegue convencê-lo.

-Chamo-me Neve, diz o negro.

De repente, a mulher começa a rir.

-Vês, eu bem disse, que toda a gente começa a rir quando sabe meu nome.

-Não, desculpa, justifica-se a mulher. Eu não me estou a rir do teu nome. Estou a pensar na cara do meu marido, quando lhe disser que tive 25 cm de neve todos os dias em Cuba...



O Diário dela:

No Sábado à noite ele estava estranho. Combinámos encontrarmo-nos no bar para tomar um copo. Passei a tarde toda nas compras com as minhas amigas e pensei que pudesse ser por minha culpa, porque me atrasei um bocadinho, mas ele não fez grandes comentários. A conversa não estava muito animada, de maneira que pensei em irmos a um lugar mais íntimo para podermos conversar mais em privado. Fomos a um restaurante e ele AINDA a agir de modo estranho. Tentei animá-lo e comecei a pensar se seria por minha causa ou outra coisa qualquer. Perguntei-lhe, e ele disse que não era eu. Mas não fiquei muito convencida. No caminho para casa, no carro, disse-lhe que o amava muito e ele limitou-se a pôr-me o braço por cima dos ombros. Não sei que raio quis dizer com isso, porque não disse que me amava também, nem nada, e estava a ficar mesmo preocupada. Finalmente chegámos a casa e eu já estava a pensar se ele me iria deixar! Por isso tentei fazê-lo falar, mas ele ligou a televisão, e sentou-se com um olhar distante que parecia estar a dizer-me que estava tudo acabado entre nós. Por fim, embora relutante, disse que me ia deitar. Mais ou menos 10 minutos depois ele veio também e, para minha surpresa, correspondeu aos meus avanços e fizemos amor. Mas ainda parecia muito distraído, e depois quis confrontá-lo e falar sobre isso, mas comecei a chorar e chorei até adormecer. Já não sei o que fazer. Tenho quase a certeza que ele tem alguém e que a minha vida é um autêntico desastre.

O Diário dele:

O Sporting empatou e levou um banho de futebol do Varzim. Mas dei uma queca.



Uma senhora está em casa e vê um vulto passar. Aproxima-se dele por trás, com cuidado, agarra-lhe os testículos e, apertando-lhos, pergunta:

- QUEM ÉS TU?

Não obtendo resposta, aperta com mais força...

- QUEM ÉS TU?

Mantendo-se o silêncio, ela aperta ainda mais, já pequenas pregas se escapam por entre os dedos, e volta a perguntar:

- QUEM ÉS TU?

Uma voz sofredora consegue responder:

- O... o... o... Toni...

- QUAL TONI?

- O... o... o... o... mudo!



O Marido chega a casa e a mulher está desolada:

- Querido, não temos luz na entrada, vais ver o que se passa?

Ele, espirituoso:

- Hello-ooooo 'tás a ver "EDP" escrito na minha testa ?

E volta costas. Ela suspira e suplica:

- Mas então dá uma olhadela na porta do frigorífico, não fecha ...

Ele, de novo:

- Hello-ooooo 'tás a ver "Ariston" escrito na minha testa ?

Ela não desiste:

- Ao menos vê se tratas das prateleiras da dispensa...

- Helo-ooooo 'tás a ver "AKI" escrito na minha testa ?

Feliz com as suas respostas, o marido vai para o café com os amigos. A certa altura, aí pela 7ª Mini, tem um rebate de consciência e decide ir a casa dar uma beijoca na patroa. Chega e encontra a luz da entrada arranjada, a porta do frigorífico impecável e a dispensa cheia de novas prateleiras.

- Olé, o que é isto ?

A mulher responde:

- Depois de saíres estava tão desolada que me fartei de chorar. Até que o nosso jovem e simpático vizinho me bateu à porta e se ofereceu para arranjar tudo. Em troca só queria que fosse para a cama com ele ou então que lhe fizesse um bolo.

O marido:

- Então que bolo é que fizeste ?

A mulher:

- Helo-oooo 'tás a ver "Maizena", escrito na minha testa ?



 

Home