Anedotas

 

 

Toda a gente gosta de anedotas. Nós também!!

Procuramos recolher aqui algumas das que consideramos mais engraçadas.

Gostaríamos de enfatizar que

Todas as referências a ETNIAS, CREDOS, NACIONALIDADES ou quaisquer outros grupos, minoritários ou não, têm por objectivo a reprodução da anedota, tal e qual o original, com o fim a que, em princípio, se destina - o puro divertimento - e não possui, neste espaço, qualquer carácter RACISTA, XENÓFOBO, ou de qualquer outra forma desrespeitoso para o grupo visado.
Assim, todas as anedotas estão reproduzidas como são contadas na sociedade em geral e não representam, em aspecto algum, a ideologia dos donos do site.

 

Dito isto, leiam e divirtam-se!!

 

Um professor de Matemática quis pregar uma partida aos seus alunos e disse -lhes:

- Meninos, aqui vai um problema:

Um avião saiu de Amsterdão a uma velocidade de 800 km/h, à pressão de
1.004,5 milibares; a humidade relativa era de 66% e a temperatura 20,4 graus C. A tripulação era composta por 5 pessoas, a capacidade era de 45 assentos para passageiros, o WC estava ocupado e havia 5 hospedeiras de bordo (mas uma estava de folga).

-A pergunta é... Quantos anos tenho eu?

Os alunos ficam assombrados. O silêncio é total.

Então o Joãozinho, lá no fundo da sala e sem levantar a mão, diz de
pronto:

- 44 anos, professor!

O professor, muito surpreendido, olha para ele e diz:

- Caramba, ‘tá certo. Eu tenho 44 anos. Mas como é que tu adivinhaste?

E o Joãozinho:

- Bem, eu deduzi porque eu tenho um primo que é meio parvo, e ele tem
22 anos..."



O professor ao ensinar os verbos:

- Se és tu a cantar, dizes: "eu canto". Ora bem, se é o teu irmão que canta, como é que dizes?

- Cala-te, Alberto.



- "S'tora", alguém pode ser castigado por uma coisa que não fez?

- Não.

- Fixe. É que eu não fiz os trabalhos de casa.



- Joaquim, diga o presente do indicativo do verbo caminhar.

- Eu caminho... tu caminhas... ele caminha...

- Mais depressa!

- Nós corremos, vós correis, eles correm!



Professor:

-Pode dizer-me o nome de cinco coisas que contenham leite?

Aluno:

-Sim, senhor professor:

Um queijo e quatro vacas.



- Pierre, o que fizeste durante o recreio? - pergunta a professora.

- Estive a brincar na areia, professora.

- Muito bem, Pierre. Se conseguires escrever no teu caderno a palavra "areia" correctamente, dou-te um Muito Bom.

O garoto escreve correctamente e a professora exclama:

- Muito bem! E agora tu, Philippe: o que é que fizeste no recreio?

- Eu também estive a brincar na areia, professora.

- Certo. Se conseguires escrever a palavra "brincar"correctamente, também te dou um Muito Bom.

O garoto escreve correctamente e a professora exclama:

- Óptimo! E tu, Ahmed? O que fizeste durante o recreio?

- Eu querria brrincar no arreia mas eles non deixarram...

- Mas que horror! Isso é uma discriminação contra um grupo étnico minoritário, com laivos de xenofobia! Olha, Ahmed, se escreveres correctamente "uma discriminação contra um grupo étnico minoritário, com laivos de xenofobia" dou-te um Muito Bom a ti também.



A Professora do 2º Ano de Ciências perguntou à turma:
- Que parte do corpo humano aumenta 10 vezes o seu tamanho quando é estimulado?

Ninguém respondeu até que a pequena Maria se levantou furiosa e disse:
- A professora não nos devia fazer esse tipo de perguntas, vou dizer aos meus pais e eles por sua vez vão dizer ao director da escola e a senhora vai ser despedida!

A professora ignorou-a e voltou a fazer a mesma pergunta. Então a pequena Maria voltou a levantar-se e disse:

- A professora vai meter-se em sarilhos.

A professora continuou a ignorá-la e perguntou se alguém sabia. Finalmente o Tiaguinho levantou-se e respondeu:

- A parte do corpo que aumenta em 10 vezes o seu tamanho é a pupila do olho.

A professora disse: - Muito bem menino Tiaguinho"" e virou-se para a menina Maria e disse também: - Quanto a ti Maria, tenho três coisa para te dizer:

1º - Tens uma mente muito suja;
2º - Não fizeste o trabalho de casa, e
3º - Um dia vais ter uma grande, mas uma grande desilusão!



Um destes dias, uma professora da 1ª classe, decidiu contar a história dos três porquinhos. Foi contando até que chegou à parte em que os porquinhos tentavam angariar materiais para construir as suas casas. Diz ela:

- E então, o primeiro porquinho chegou-se ao pé do carroceiro que transportava fardos de palha e perguntou: "O Sr. não se importa de me ceder um pouco da sua palha para que possa construir a minha nova casa?" - contou ela.

Depois, virando-se para os alunos, perguntou:

- E o que acham vocês que o homem disse?

Respondeu logo uma das criancinhas:

- O homem deve ter dito: "FODA-SE! Um porco que fala!!



 

Home