Anedotas

 

 

Toda a gente gosta de anedotas. Nós também!!

Procuramos recolher aqui algumas das que consideramos mais engraçadas.

Gostaríamos de enfatizar que

Todas as referências a ETNIAS, CREDOS, NACIONALIDADES ou quaisquer outros grupos, minoritários ou não, têm por objectivo a reprodução da anedota, tal e qual o original, com o fim a que, em princípio, se destina - o puro divertimento - e não possui, neste espaço, qualquer carácter RACISTA, XENÓFOBO, ou de qualquer outra forma desrespeitoso para o grupo visado.
Assim, todas as anedotas estão reproduzidas como são contadas na sociedade em geral e não representam, em aspecto algum, a ideologia dos donos do site.

 

Dito isto, leiam e divirtam-se!!

 

A filha reclama à mãe do cepticismo do namorado.

- Mãe, o Mário diz que não acredita no inferno!
- Casa-te com ele minha filha e deixa comigo. Eu faço-o acreditar!



A sogra vai visitar o filho e a nora.
- Querida sogra! Que saudades, quanto tempo é que vai ficar desta vez?
- Ó minha querida, até vocês ficarem cansados de mim.
- A sério? Não fica nem para um cafezinho?



O genro para a sogra:
- Gostava que a senhora fosse uma estrela...
- Está muito gentil para comigo meu genro
- Não tem que agradecer; é que a estrela mais perto da Terra está a milhões e milhões de km!



O tipo chega ao serviço todo arranhado, mordido, com o fato rasgado, gravata torta, cheio de hematomas no rosto.
Ao ver aquela figura grotesca, o companheiro de escritório pergunta-lhe:

- O que foi que te aconteceu? Sofreste algum acidente?

- Não rapaz, acabei de enterrar a minha sogra!

- Mas… e quanto a esses ferimentos?

- É que a velha não queria entrar no caixão de maneira nenhuma!!!



O homem apanha um susto ao ouvir da cartomante:

- Em breve a sua sogra morrerá de forma violenta.

Imediatamente ele pergunta à vidente:

-Violentamente? E eu...? Serei absolvido?



P: Em quantas partes se divide o cérebro da sogra?
R: Depende da intensidade da pancada!



Um homem está na cama á espera de morrer, e vira-se para os filhos e diz:
- João, beija-me a mão...
- José beija-me o pé...
- Ramalho... porque foges???



Eu costumava odiar ir a casamentos porque havia sempre aquele momento no final em que todas as avós e tias vinham ter comigo, davam-me uma cotoveladazinha e diziam com um ar doce:

- A seguir és tu!

Mas pararam de fazer isso quando eu passei a fazer-lhes a mesma coisa nos funerais!



AO TELEFONE

- Estou, a minha sogra quer se atirar da janela.

- Enganou-se no número, aqui é da carpintaria.

- Eu sei, mas é que a janela não abre.



- Mamã, mamã! Como é que tu és branca, o papa é preto e eu sou amarelo?

- Ah, meu filho, se soubesses a festa que houve naquele dia, estarias contente por não ladrares!



 

Home